Eternidade

Choro pelos que são imortais. Os que vagueiam pelo mundo, em busca de um algoz capaz de por fim ao seu sofrimento. Pelos que viram partir todos os seus amores, suas crenças, e seu tempo.
Choro, não por seu corpo, imaculado e resistente contra o tempo. Mas pela sanidade de tua mente; tamanho o peso que carrega. Condenados à vagar. Sem vida, sem alma, para todo o sempre.
Choro, pelos que carregam em si, a maldição da vida eterna.

Anúncios

Sobre Eduardo Quintanilha

21 anos, Analista de Suporte. Estuda Análise e Desenvolvimento de Sistemas na Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Skatista entre uma prova e outra, e escritor nas horas vagas. Decidiu criar o blog para publicar seus textos escritos à base de muito café e olheiras. Almeja ser reconhecido pelos seus textos e poemas, ou que alguém goste de seus textos.

Se gostou, comente. Se não gostou, comente também. Críticas construtivas são sempre bem vindas!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: