Prolongamentos

Talvez nós não combinemos,
Meu bem.
Que tal tentarmos
Semana que vem?
Eu mal me entendo,
Você tem medo.
Talvez eu seja mesmo mal.
Podemos deixar para
O próximo mês, que tal?

As brigas são constantes,
Eu escrevo vogais e consoantes.
Num presente que
Já não é mais como antes.

E o que esperar de nós,
Se você mal sabe
Que te amo?
Ando pensando, querida.
E se nós tentarmos
No próximo ano?

                                (Eduardo Quintanilha)

Anúncios

Sobre Eduardo Quintanilha

21 anos, Analista de Suporte. Estuda Análise e Desenvolvimento de Sistemas na Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Skatista entre uma prova e outra, e escritor nas horas vagas. Decidiu criar o blog para publicar seus textos escritos à base de muito café e olheiras. Almeja ser reconhecido pelos seus textos e poemas, ou que alguém goste de seus textos.

»

  1. Eduardo, que poema divertido! Adorei as rimas!
    Um beijo,
    Ingrid.

    Responder
  2. E se de repente, ela sentisse o mesmo que você sente?

    Responder

Se gostou, comente. Se não gostou, comente também. Críticas construtivas são sempre bem vindas!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: