Maldito seja. Maldito é.

A maldição de escrever,
Que insiste em me assombrar.
Escrevo porque preciso.
Não para “me mostrar”.

A caneta se torna uma extensão
Do meu corpo.
Palavras fluem como um rio,
Vêm da base, até o topo.

Não existem regras por aqui.
Newton deveria estudar os poetas.
Pois a gravidade,
Não faz nem cócegas
Nos meus versos.

– E.Q

Anúncios

Fez-se mar

  A chuva caia fina lá fora. O silêncio era absoluto naquela madrugada.
Os pensamentos vieram como uma enxurrada. Talvez fosse só uma fina corrente de água, mas o silêncio costuma tornar tudo mais intenso. – Ele prega peças na mente.
O dia tinha sido difícil. – O término de uma relação nunca é uma coisa fácil, afinal.
Pensava, se talvez tivesse feito a coisa certa. De qualquer forma, o que poderia ter sido feito? Ele não sabia.
  Ela chegou de repente, sem tempo para conversas. Disse-lhe que a relação já não era mais a mesma. Ele, sem acreditar, ainda tentou convencê-la do contrário. Mas não. Estava decidida. Característica essa que ele admirava nela. – Não naquele momento.
Seu rosto queimava. Suas mãos suavam frio. Eram sinais do seu corpo de que alguma coisa estava machucando-o. – E não estava, realmente? O pior machucado é aquele que remédio algum pode curar. Talvez o tempo cicatrize, mas isso é o máximo que pode acontecer.
  Ela, pelo contrário, estava ciente do que fazia. Resoluta.
Suas palavras saiam feito facas de sua boca. Cortavam o ar e destruíam os tímpanos do rapaz.
Ele, já sem nada por fazer, disse por fim: “Eu não posso te obrigar a ficar comigo. Mesmo que eu queira muito, meu bem. O fato, é que eu te amo, estando ou não contigo. E quero te ver feliz. – Sua respiração estava alta. – Se vais ficar feliz longe de mim, ficarei bem.”
Os olhos dela brilharam. Como quando a primeira lágrima ameaça verter do canto do olho. Mas conteve-se. Estava decidida, afinal.
Ele sorriu, e se foi.
  De fato, pensar sobre aquilo tudo no silêncio da noite era uma coisa difícil. Quase impossível. Mas os pensamentos vêm e também se vão. Feito as ondas de um mar de sentimentos. Você só precisa tomar fôlego entre uma onda e outra, e aguentar firme.
No seu mais profundo íntimo, queria tê-la ali. Seus braços era o lugar onde deveria estar. Mas sabia. Não poderia mais acariciar seus cabelos.
O amor, é um sentimento sólido. Muitas vezes, sacrifícios devem ser feitos. – Pensou consigo.
  Ela estava feliz. Ele, – como dito – ficaria bem. A felicidade dela o confortava. A distância, jamais.
Sorriu para o silêncio do quarto. Como quem debocha de si mesmo. Aquela seria uma longa noite.

                                         
                                                        – E.Q

Orgulho

Olhe-me nos olhos
E diga, sem vacilar.
Diga, que não sou
O que você queria.
Olhe nesses olhos
Que tanto te
Observaram dormir.
E diga, sem hesitar,
Que tudo não passou de
Um ledo engano.

Quero ouvir
De teus lábios.
Esses que tanto
Umedeceram os meus
Que tudo
Sempre fora
Nada menos
Do que
Nada.
                                                 – E.Q

Ei de ser?

Eu que já fui.
Eu que sou.
Eu que serei.

Nunca fui nada.
Sou nada menos.
O futuro,
Não sei.

Eu que fui mar.
Sei que sou lágrimas.
A torneira,
Fechei.

Um dia, fui eu.
Agora eu tento.
Desculpe,
Eu juro,
Tentei.
                  
                           (Eduardo Quintanilha)

Prolongamentos

Talvez nós não combinemos,
Meu bem.
Que tal tentarmos
Semana que vem?
Eu mal me entendo,
Você tem medo.
Talvez eu seja mesmo mal.
Podemos deixar para
O próximo mês, que tal?

As brigas são constantes,
Eu escrevo vogais e consoantes.
Num presente que
Já não é mais como antes.

E o que esperar de nós,
Se você mal sabe
Que te amo?
Ando pensando, querida.
E se nós tentarmos
No próximo ano?

                                (Eduardo Quintanilha)

A resposta

Sei que o tempo não para, amor.
Sinto que já sei te amar.
Olho pro céu estrelado, meu bem.
Sei que é contigo que quero ficar.

Andando juntos de mão dadas.
Deixando a maré nos levar.
Fazendo com que
O brilho dos teus olhos,
Junte-se ao do luar.

                                        – Lua Negra
                                   

Sobre a página do blog no Facebook

image

Olá, leitores!
Finalmente resolvi criar uma página pro blog no Facebook. Lá, irei postar textos mais curtos e mais artísticos, além dos que serão vistos aqui.
Também é uma forma de vocês interagirem melhor, já que a maioria passa mais tempo no Facebook do que navegando pelos blogs.
Enfim. Dêem uma olhada.
Nos vemos por lá!

Facebook.com/TEXTOSETRECHOSBLOG